4 passos para diagnosticar problemas de SEO

Vou fazer uma introdução bem curta por que provavelmente você chegou neste artigo procurando por maneiras de lidar com problemas de SEO, um “incêndio técnico” ou até mesmo esteja fazendo a auditoria de SEO para uma empresa no meio de uma reunião.

Neste artigo vamos te ensinar o processo para combater as “chamas” técnicas de SEO, fazer uma boa auditoria e resolver os problemas, na prática! Se você estiver apenas procurando uma lista para auditoria rápida, pode pular direto para a etapa 3.

Mas saiba que você pode perder algumas boas dicas ao longo do caminho… tudo bem, já que a maioria das pessoas não lê mesmo, quer dizer, exceto você, já que você ainda está aqui e acabou não sendo uma introdução tão curta assim…

Entendendo o problema

O primeiro passo para resolver um problema é entender o problema. Isso significa que você vai ter que enfrentar aquele e-mail cheio de pânico do cliente ou aquela mensagem desesperada dele.

Procure os detalhes do e-mail ou mensagem, extrapole todas as informações necessárias que você precisa para encontrar uma solução.

Se faça as seguintes perguntas:

  • O que o e-mail/mensagem diz?
  • O que o e-mail/mensagem realmente diz? (veja se encontra algum problema camuflado)
  • O que você já sabe sobre esse assunto?
  • Possui algum dado coletado sobre o problema?
  • Quais são os sintomas ao redor do problema?
  • É realmente urgente ou isso é mais do tipo “nós identificamos esse problema, vamos procurar uma solução amanhã de manhã”?

Einstein disse uma vez: “Se eu tivesse uma hora para resolver um problema, passaria 55 minutos pensando no problema e 5 minutos pensando nas soluções”. E ele com certeza tinha experiência em resolver problemas, então podemos confiar na sua experiência.

Monte um plano… ou parte de um

Você pode estar pensando: entendi, agora que identifiquei o problema é a hora de solucionar. E… você até pode tentar ou talvez… seria mais sábio começar montando um plano de ação.

Se você tem um plano – você tem uma melhor visão dos passos que terá de tomar. Você mapeia o caminho para o seu sucesso, dando espaço para os desvios necessários.

Isso pode te economizar muito tempo no final, pois por seguir um planejamento bem pensado, você terá menos surpresas no caminho.

Nota: montar um plano não precisa ser um processo formal. Podem ser apenas alguns pontos anotados em um arquivo de texto em formato .txt.

O básico que você precisa para criar um plano:

  • Existe algo que você conheça que pode estar causando o problema?
  • Liste qualquer coisa que você gostaria de testar.
  • Esboce indicadores que seriam verdadeiros caso sua hipótese for válida.
  • Descreva por onde começar.
  • Estime quanto tempo isso vai levar.

Comece a agir e analisar

Agora é hora de agir, botar seu plano em prática e combater o incêndio.

Isso envolve olhar para seu plano, não como uma extensão de si mesmo (de sua inteligência ou ego), mas como uma questão genuína.

Para você, caro leitor, preparei algumas ideias sobre por onde começar a diagnosticar problemas técnicos de SEO mais comuns.

Talvez outros comecem em algum lugar diferente, e é claro que alguns problemas são melhor resolvidos com certas ferramentas.

Aqui está um processo que eu costumo usar, quando preciso diagnosticar problemas de SEO:

  1. Trocar para o User-agent Googlebot e verificar o site.
  2. Verifique o DOM (o DevTools, ou seja, clicar com o botão direito do mouse > inspecionar > guia elemento).
  3. Jogar as URLs no Screaming Frog (ou outros rastreadores equivalentes) e ver se o problema pode ser encontrado.
  4. Usar a plataforma de análise de dados do Google Search Console (GSC).
    • Dica: revise dados relevantes na plataforma de análise + GSC + Bing Webmaster Tools.
  5. Verificar o rastreador de classificação de palavras-chave (SEMRush ou Ahrefs).
  6. Verificar seus arquivos de log (especialmente se for um problema relacionado ao rastreamento).

Dicas para detectar os problemas mais comuns de SEO técnico

Aqui vão mais algumas dicas sobre como identificar alguns dos problemas mais comuns de SEO técnico, essa lista vai te ajudar a identificar: problemas de rastreamento, renderização, indexação, classificação e novas tecnologias como AMP e PWA.

Problemas de rastreamento

  • Não usar links href
    • O Google recomenda o uso de links “a href”. A funcionalidade onclick do JavaScript é bem legal e tudo, mas o Google pode rastrear links JS, não quer dizer que ele vá fazer isso; já os clássicos links “a href” são consistentes e capazes de fazer com que seu site seja rastreado.
  • Rolagem infinita
    • A rolagem infinita pode ser configurada de várias maneiras diferentes e parte do conteúdo da rolagem infinita pode não ser visível para os mecanismos de pesquisa.
    • Uma maneira de começar a diagnosticar se eles estão sendo indexados é: tentar ver se o Google apresenta citações diretas do conteúdo, verificando os relatórios do GSC sobre a cobertura e revisando as classificações das páginas atuais.
  • Imagens com lazyload (imagens carregadas apenas quando o restante da página é carregado ou em uma ação específica do usuário, como rolagem)
    • Se você quer que suas imagens sejam carregadas com lazyload para que seu site carregue mais rápido, você precisará:
      • Adicionar tags <noscript>.
      • Usar dados estruturados JSON-LD (você terá que usar um ImageObject ou uma propriedade de item “imagem” dentro de outra marcação mais específica).
  • Baixa eficiência de rastreamento (+ armadilhas de rastreamento)
    • O potencial de baixa eficiência de rastreamento inclui:
      • Sites muito grandes (com mais de 100 mil URLs).
      • Problemas de conteúdo duplicado.
      • Uso de redirecionamentos 302 temporários no lugar de 301s em muita quantidade.
      • Tempo de carregamento muito lento (na casa dos 20 segundos ou mais).
      • Renderização JavaScript necessária para várias funções do site.
  • Usando imagens de background via CSS
    Elas são apenas isso – imagens de fundo. Elas não são rastreadas e não serão indexadas na pesquisa de imagens. Eu sei, é triste, mas elas são apenas decorativas.
  • Robots.txt mal feito
    • Nada é mais irritante do que fazer tudo certo e ficar confuso devido a um arquivo robots.txt mal escrito.
    • Dica: mantenha um rastreador no robots.txt para garantir que você seja notificado sobre quaisquer alterações.
    • Dica: Use o Uptime Robot para saber o status do robots.txt.
  • Versão SSR inconsistente
    • Seu SSR (server-side rendering) ou versão pré-renderizada deve ser uma representação precisa da versão do usuário.
    • Dica: Mantenha um rastreador em suas versões SSR. 
  • Grandes recursos na página que acabam com a velocidade
    • Existem muitas ferramentas para testar a velocidade de página. Você também pode usar – Page Speed ​​Insights, GTMetrix, Lighthouse e muitos outros para identificar o problema e ataca-lo individualmente.

Renderização

  • JavaScript não renderizado adequadamente
    • Dica: confira a página na Ferramenta de teste de compatibilidade com dispositivos móveis do Google (uma ferramenta do Google que renderiza o DOM).
    • Dica: mude seu user-agent para o Googlebot ou Bingbot.
  • Site migrado recentemente
    • As migrações são uma coisa totalmente diferente, quando as URLs mudam, leva tempo para alterar tudo nos mecanismos de busca, especialmente para sites grandes. Certifique-se de ter usado redirecionamentos 301 e seguido várias outras etapas importantes para tornar a migração o mais tranquila possível. 

Indexação

  • Tag ou cabeçalho HTML no index
    • Dica: Use o Screaming Frog para verificar rapidamente a indexabilidade. Eles fazem um bom trabalho e você não precisa verificar individualmente cada tag e cabeçalho.
  • Tags canônicas
    • Uma tag canônica correta pode não ajudar muito, mas uma tag canônica incorreta com certeza irá prejudicar o desempenho do seu site.
    • Dica: use também o Screaming Frog para puxar todas das tags canônicas.

Classificações

  • Dados estruturados não validados
    • O código de dados estruturados não funciona se a sintaxe não estiver correta ou o vocabulário estiver incorreto. A Schema.org faz as regras e nós vivemos no mundo deles, por isso, tenha certeza de que os dados estruturados estão feitos da maneira correta e estão validados.

Nova tecnologia

  • AMP não validado
  • PWA não validando
    • Nota: os PWAs não são algo que deve afetar diretamente o desempenho da pesquisa orgânica, porque o serviço de renderização da web do Googlebot não processa service workers (porque o Googlebot sempre age como um primeiro visitante). Teoricamente, o Googlebot deve simplesmente ignorar os service workers. De qualquer forma, isso não significa que você não deva fazer isso para seus usuários.

Sugira uma solução e escreva uma resposta sucinta

Nesse momento você precisa apenas de:

  • Notas das análises.
  • Capturas de tela.
  • Recomendações sobre como melhorar a situação atual.

Veja só um modelo de como responder aquele e-mail do cliente de uma maneira agradável e sucinta:

Olá {nome da pessoa},

Obrigado por nos informar do problema! Investigamos e aqui está o causador do problema encontrado e o que recomendamos fazer para solucionar:

Solução recomendada: {insira a solução}

Causa do problema: {entenda quando e por que evitar que isso aconteça}

Nota de análise: {inserir notas, lista de marcadores, com capturas de tela rotuladas que contam uma história de análise de dados (talvez até links para os relatórios, para que a pessoa possa verificá-los por conta própria}

Seu SEO favorito,

{assinatura}

Dicas para quem está em uma reunião com cliente enfrentando um incêndio

  1. Não entre em pânico.
  2. Tente fazer perguntas que te ajudarão a entender o problema (e ganhar algum tempo).
  3. Se você não souber a resposta no momento – admita (tudo bem não saber tudo, esse é o trabalho do Google).
    • Dica: Seja sincero sobre o tempo que você precisa para fornecer um trabalho de qualidade e por que você precisa de tempo. Você pode precisar de tempo para:
      • Mergulhar nos dados.
      • Consultar o gerente da equipe (e/ou).
      • Consultar especialistas em algum assunto específico.
      • Simplesmente para avaliar e processar as opções.
  4. Certifique-se de cumprir com o prazo (um passo óbvio, que eu sabia que você já faria, porque você é incrível).

Considerações finais

Obrigado por chegar até aqui e lendo até o fim (ou pular para a conclusão e perder todos os grandes insights no meio do artigo!).

Aqui está um resumo, caso você realmente precise da lista rápida.

Etapas para lidar com problemas de SEO

  1. Fique calmo.
  2. Procure entender o problema.
  3. Faça um plano (mesmo que seja um plano de como analisar).
  4. Executar o plano.
  5. Sugira uma solução (ou algo que se aproxime de uma).
  6. Escreva uma resposta sucinta (com notas de análise detalhadas).
  7. Respire novamente, saia do modo de foco e reserve um momento para apreciar a si mesmo e ao seu trabalho (porque você arrasou nessa análise).

Leonardo Lima

Artigos relacionados